Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Audiência pública debate LDO com representantes da comunidade

Publicado: Sexta, 07 de Julho de 2017, 13h00

População apresentou sugestões à Lei de Diretrizes Orçamentárias



Secretários municipais e vereadores explanaram em audiência pública para representantes da comunidade na quarta-feira, dia 14 de junho, na Câmara Municipal de Parauapebas, detalhes sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

A mesa que dirigiu os trabalhos da audiência foi formada pelos vereadores Elias Ferreira (presidente da Casa de Leis), Zacarias Marques (presidente da Comissão de Finanças e Orçamento), Joelma Leite e Luiz Castilho; e o secretário municipal de Planejamento, João Corrêa.

Após a abertura dos trabalhos, feita pelo vereador Zacarias Marques, os demais componentes da mesa e os vereadores Horácio Martins, Francisca Ciza, Kelen Adriana, Joel Alves, João Assi e Eliene Soares, que se encontravam no plenário, fizeram suas considerações iniciais sobre a LDO.

Em seguida, o servidor público Rômulo Barros, da Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan), apresentou nos telões do Legislativo um resumo sobre a LDO, detalhando prazos, vigência, metas fiscais, sanções e receitas e despesas correntes.

Sugestão de propostas
Dando prosseguimento à audiência, foi disponibilizado o tempo de três minutos para cada um dos representantes da comunidade sugerir propostas para serem inseridas na Lei de Diretrizes Orçamentárias.

Andrea Lima (Conselho de Habitação) solicitou que o governo municipal inclua kit de construção no orçamento para que famílias carentes possam construir suas casas.

Fernando Ferreira, o popular “Duda” (Picunhaço), sugeriu que vereadores e secretários municipais discutam recursos hídricos e construam reservatório de água; e lamentou o índice de desemprego na cidade e a falta de qualificação profissional.

Já Cleiton Soares Lima (Associação do Bairro dos Minérios) solicitou a continuidade da obra de uma creche no bairro, que se encontra abandonada.

Por sua vez, Dionisio Weyh (Comasp) reclamou que os conselhos municipais se encontram sem orçamento e estrutura física, por falta de apoio dos poderes públicos.

Aldo Nonato (servidor público) lamentou a falta de divulgação da audiência pública e solicitou aquisição de imóveis para os conselhos municipais.

Por último, Edson Taveira (líder comunitário) propôs educação de inclusão com tempo integral e fim do turno intermediário, e reclamou do alto índice de violência no município.

O secretário João Corrêa avaliou como justas as reivindicações da comunidade nas propostas para LDO e prometeu priorizá-las no orçamento  do governo municipal.

Ao encerrar a audiência pública, o vereador Zacarias Marques agradeceu a presença das autoridades e da comunidade presente e disse que os encaminhamentos das propostas foram anotados pelos servidores da Seplan.

Texto: Waldyr Silva / Revisão: Josiane Quintino  / Fotos: Orion Lima e Tiago Boiago / Ascomleg

registrado em:
Fim do conteúdo da página