Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Vereador Maridé Gomes pede programa para aquicultura familiar
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Eliene Soares solicita benefícios para áreas de comunicação, saúde e educação

As áreas de comunicação, saúde e educação devem ser contempladas com os benefícios de três indicações que foram apresentadas pela vereadora Eliene Soares (MDB) na sessão da Câmara Municipal de Parauapebas da última terça-feira (15).

  • Publicado: Quinta, 17 de Dezembro de 2020, 11h12

As proposições pedem antenas de internet para acesso gratuito na comunidade do assentamento Estrela D'Alva (Indicação nº 420/2020); diálogo com a mineradora Vale para que ela financie e/ou ajude intermediar aquisição de vacina contra a covid-19 (Indicação nº 432/2020); e implantação do curso de graduação em Enfermagem junto à Ufra (Indicação nº 438/2020).

Internet no campo
Neste pedido, Eliene Soares justifica que seu gabinete tem recebido muitos pedidos da comunidade do assentamento Estrela D'Alva para instalação de antenas que visem captar sinal de internet. “Não adianta mudar a vida de todo mundo da cidade e abandonar a população do campo. Ao agir assim, haverá sempre um descompasso nos indicadores de desenvolvimento e qualidade de vida”, destaca a parlamentar.

Segundo ainda a vereadora, a Prefeitura de Parauapebas já possui um programa de tecnologia para o desenvolvimento social, dentro do qual está inserido o projeto "Parauapebas Digital". Esse projeto teve orçamento autorizado para este ano de RS 2 milhões e 811 mil, tendo empenhado 95% desse montante. Mas ainda há uma sobra, no valor de R$ 150 mil, conforme consta do Portal da Transparência.

Aquisição de vacina
Na justificativa do pedido de intervenção da mineradora Vale para aquisição de vacina contra covid-19, Eliene Soares diz que o município de Parauapebas é usado pela Vale como o maior parceiro comercial da empresa com a China, que é o maior país comprador do minério de ferro produzido no Brasil. “Mas será que Parauapebas tem recebido tratamento diferenciado pelas grandes potências, considerando uma posição estratégica do município como maior produtor de minério de alto teor do mundo? Certamente, não”, indaga a legisladora.

Ciente de que só uma vacina eficaz e segura pode resgatar a população de tempos sombrios e incertos de pandemia de coronavírus, que está voltando com força para uma chamada "segunda onda", Eliene Soares sugere ao governo municipal que inicie diálogo transparente com a Vale para que a empresa, dentro de suas amplas possibilidades comerciais, subsidie vacina comprovadamente eficaz para uma ampla imunização de Parauapebas.

Curso de Enfermagem
Para ilustrar esta demanda, a vereadora lembra que atualmente instituições de ensino superior disponibilizam em Parauapebas três editais: um com 40 vagas para graduação em Biologia pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e dois com 40 vagas cada, para cursos de especialização em Gestão Pública e Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do Pará (Uepa).

Eliene Soares acrescenta que a Uepa promete soltar mais editais nos próximos dias, de modo que em março as turmas de Matemática, Biologia e Engenharia de Software, prometidas pela universidade, já devem iniciar as aulas na cidade, oportunizando a oferta de 150 vagas em cursos de graduação regulares.

Não obstante as ofertas de cursos acima mencionadas, a parlamentar pede agilidade no andamento do curso de Enfermagem da Ufra, que está tramitando no Ministério da Educação (MEC). Ela diz entender que a burocracia foi agravada pela pandemia de coronavírus, que paralisou os trabalhos do ministério, sobretudo, uma etapa importante para autorização do curso de Enfermagem em Parauapebas: a visita "in loco" dos inspetores que dão a canetada final para liberar a abertura de turmas e o vestibular.

“Para garantir a instalação do curso, indico ao governo municipal que reforce o apoio à Ufra, por meio de mediação, diálogos e relações políticas e técnicas em Brasília, onde o nosso prefeito Darci Lermen sempre teve portas abertas, a fim de que possamos dar celeridade ao processo e trazer o curso já em 2021”, pede Eliene Soares.

Depois de serem apresentadas em plenário, as três indicações foram aprovadas e agora elas serão encaminhadas para apreciação do Poder Executivo.

Texto: Waldyr Silva / Foto: Dja Oliveira

registrado em:
Fim do conteúdo da página